Evangelho no Lar

 

Organizemos o nosso agrupamento doméstico do Evangelho. O Lar é o coração do organismo social. Em casa, começa nossa missão no mundo.”  Scheilla (do livro Luz no Lar)    “Porque onde estiverem reunidos em meu nome, lá estarei presente.”  Jesus                                                                                         (MATEUS, 18:20)

 

 

O Evangelho no Lar

Finalidade: trata-se de um encontro semanal, sendo previamente marcado o dia e a hora (devendo ser repetido sempre no mesmo dia e hora da semana), com o objetivo de reunir a família em torno dos ensinamentos evangélicos, à luz do Espiritismo, e sob a assistência dos Benfeitores Espirituais.

 

Como Fazer o Evangelho no Lar

1. Participantes

  • Podem ser todas as pessoas do lar, inclusive as crianças,
  • ou ainda pode ser feito por apenas uma pessoa da casa.

2. Roteiro da Reunião (sugerido)

  1. Leitura, sem comentários, de uma página de um livro (por exemplo, Pão Nosso, Fonte Viva, O Livro dos Espíritos entre outros).
  2. Prece inicial.
  3. Leitura e comentários de um tópico de O Evangelho segundo o Espiritismo, estudado de forma sequencial, ou outro livro de bom entendimento. Quando crianças participarem, livros para a idade delas devem ser observados para que possam participar ativamente.
  4. Prece de encerramento.

3. Recomendações

 

  • O tempo da Reunião deve ser de 20 min, no máximo de uma hora.
  • Nesta prática não deve haver manifestação mediúnica de Espíritos.
  • Pode-se colocar água para ser beneficiada pelos Protetores Espirituais e, após, repartida entre os participantes.
  • A presença de visita não deve ser motivo para suprimir a reunião.
  • No caso de se perder o dia da reunião em determinada semana, pode-se continuar na próxima.
  • Quando toda a família participa e acontecer de ter uma só pessoa no dia marcado, a reunião deve acontecer normalmente.
  • Em caso de viagem, a família pode realizar a reunião onde estiver.

Culto Cristão no Lar

O culto do Evangelho no lar não é uma inovação. É uma necessidade em toda parte onde o Cristianismo lance raízes de aperfeiçoamento e sublimação.

A Boa Nova seguiu da manjedoura para as praças públicas e avançou da casa humilde de Simão Pedro para a glorificação no Pentecostes.

A palavra do Senhor soou, primeiramente, sob o teto simples de Nazaré e, certo, se fará ouvir, de novo, por nosso intermédio, antes de tudo, no círculo dos nossos familiares e afeiçoados, com os quais devemos atender às obrigações que nos competem no tempo.

Quando o ensinamento do Mestre vibre entre as quatro paredes de um templo doméstico, os pequeninos sacrifícios tecem a felicidade comum.

  • A observação impensada é ouvida sem revolta.
  • A calúnia é isolada no algodão do silêncio.
  • A enfermidade é recebida com calma.
  • O erro alheio encontra compaixão.
  • A maldade não encontra brechas para insinuar-se.

E aí, dentro desse paraíso que alguns já estão edificando, a benefício deles e dos outros, o estímulo é um cântico de solidariedade incessante, a bondade é uma fonte inexaurível de paz e entendimento, a gentileza é inspiração de todas as horas, o sorriso é a sombra de cada um e a palavra permanece revestida de luz, vinculada ao amor que o Amigo Celeste nos legou.

Somente depois da experiência evangélica do lar, o coração está realmente habilitado para distribuir o pão divino da Boa Nova, junto da multidão, embora devamos o esclarecimento amigo e o conselho santificante aos companheiros da romagem humana, em todas as circunstâncias.

Não olvidemos, assim, os impositivos da aplicação com o Cristo, no santuário familiar, onde nos cabe o exemplo de paciência, compreensão, fraternidade, serviço, fé e bom ânimo, sob o reinado legítimo do amor, porque, estudando a Palavra do Céu em quatro Evangelhos, que constituem o Testamento da Luz, somos, cada um de nós, o quinto Evangelho inacabado, mas vivo e atuante, que estamos escrevendo com os próprios testemunhos, a fim de que a nossa vida seja uma revelação de Jesus, aberta ao olhar e à apreciação de todos, sem necessidade de utilizarmos muitas palavras na advertência ou na pregação.

Emmanuel

Fonte: XAVIER, Francisco Cândido. Luz no Lar. Por diversos Espíritos. 8. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1997. Cap 1, p. 11-12.

 Folder distribuído pela Federação Espírita Brasileira. www.febnet.org.br e método usado na SCEE.


A Sociedade Catarinense de Estudos Espíritas disponibiliza voluntários para ajudar no início desta importante atividade! Se precisar entre em contato para agendar uma equipe com nossa secretaria ou se preferir neste link clicando aqui.


Login to your account below

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

× Posso te ajudar?